Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Julho 2008

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

 


Multibancos vandalizados na Guarda

Quarta-feira, 09.07.08

 

Um homem, com cerca de 30 anos, conseguiu danificar, em menos de meia hora, nove dependências bancárias na cidade e na Guarda-Gare.

O indivíduo, suspeito da destruição de dezenas de caixas multibanco e algumas montras das instituições financeiras, estava internado no Departamento de Saúde Mental do Hospital da Guarda, de onde saiu por volta das 23 horas da passada segunda-feira, dia 7, local onde começou a destruição, ao partir várias janelas.

A maioria dos Bancos da Guarda foram afectados pela fúria deste homem que, terá utilizado um pé de cabra para partir e destruir grande parte das instalações bancárias da cidade, ora caixas multibanco, ora as paredes de vidro destas instituições.

Na Guarda-Gare, dos seis Bancos aí sedeados, apenas a dependência da CGD escapou, não Alegadamente com residência no concelho de Mêda, o suspeito dos actos de vandalismo da noite de segunda-feira está já referenciado pelas autoridades mas ainda não foi detido, tendo adiantado Luís Viana, Comandante da Polícia da Guarda, que “o indivíduo não pode ser detido, porque não houve flagrante delito” cabendo agora ao Ministério Público determinar a abertura da investigação e aguardando a PSP por uma determinação do juiz para a detenção do suspeito.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Comentários recentes