Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Dezembro 2007

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

 


Revitalização da Linha do Douro vai ser candidatada ao QREN

Terça-feira, 11.12.07

Durante a Convenção para a Revitalização da Linha do Douro foi discutida a possibilidade de candidatar a reabertura entre Pocinho e Barca de Alva através de fundos do Quadro de Referência Estrtégica Nacional.

António Edmundo, presidente da Câmara de Figueira de Castelo Rodrigo vê na revitalização da linha do Douro, uma "obra transversal no verdadeiro espírito do Qren, que pode fazer a diferença e abrir a região à Europa, trazendo mais turistas" admitindo que se já actualmente a região recebe 36 mil turistas por ano, esse número pode duplicar com a entrada em funcionamento da linha ferroviária.

Durante a Convenção, o presidente da CCDR Norte adiantou que existem verbas disponíveis para se poder avançar com o projecto. "Há financiamento para candidaturas como a revitalização da linha entre o Pocinho e Barca de Alva" referiu Carlos Laje, explicando que "basta que haja uma entidade que faça a candidatura, que a prepare e que estruture essa candidatura, e que se responsabilize por todos os actos consequentes".

A reactivação da Linha do Douro estende-se por um troço de 28 quilómetros e tem um investimento estimado em 15 milhões de euros, ainda assim "não faz sentido deixar cair uma linha como esta, um verdadeiro monumento de carácter cultural, que segue um percurso admirável ao longo do rio Douro, não faz sentido que caia aos pedaços, que seja vandalizada ou transformada apenas numa ecopista" defendeu o presidente da CCDR Norte, que se mostrou interessado na revitalização da linha "estou aqui para mostrar o meu empenho na revitalização dessa linha". Carlos Laje mostrou-se assim "completamente contrário em deixar morrer a linha do Douro, troço a troço".

Durante a realização da Convenção de Revitalização da Linha do Douro, 28 autarcas mostraram o interesse na reabertura da linha ferroviária para fins turísticos, tendo diversos especialistas defendido também a viabilidade do projecto.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Comentários recentes