Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Dezembro 2007

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

 


Exposição "O Comboio chegou a Barca d’Alva"

Sábado, 15.12.07

Está patente no Cais de Barca de Alva uma exposição intitulada "O Comboio chegou a Barca d’Alva" da responsabilidade do Museu do Douro.

Esta exposição conta com 16 painéis que "invocam toda a história da linha ferroviária do Douro, desde a sua formação, a constituição do Sindicato Bancário que permitiu financiar a obra, todo um enquadramento histórico de uma linha ferroviária com história" refere Fernando Maia Pinto, director do Museu do Douro.

A exposição surge numa altura em que em Barca de Alva se comemoram os 120 anos da abertura da Linha do Douro, que permitiu ligar o Porto a Barca de Alva, constituindo-se assim numa via ferroviária internacional.

Para Fernando Maia Pinto trata-se de "marcar uma efeméride que foi a chegada do comboio à 120 anos" e ao mesmo tempo "chamar à atenção do estado em que ela se encontra na actualidade". É assim possível, ao visitar esta exposição, fazer um enquadramento histórico da vida que deu a região a existência da via férrea, e "os perigos que há para o desenvolvimento com a sua morte".

"É um dos papeis deste museu, chamar à atenção para os muitos aspectos positivos e de interesse que existem e podem ser admirados pelas margens do Douro, bem como promover e associar-se a iniciativas que possam ajudar a dinamizar novamente vias que se consideram em extinção, salienta Fernando Maia Pinto, que justifica assim a participação do Museu do Douro também nos trabalhos da Convenção para a Revitalização da Linha do Douro, que aconteceu no passado Domingo em Barca de Alva.

A exposição vai estar patente até meados de Janeiro do próximo ano e depois seguirá um trajecto por outros pontos de paragem ao longo da linha, culminando com uma exposição final na cidade do Porto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

1 comentário

De al cardoso a 16.12.2007 às 13:58

Quem sabe, ainda um dia la voltara o comboio!

Votos de Boas Festas e, um abraco do d'Algodres.

Comentar post





Comentários recentes