Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Março 2009

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

 


"Agora eu era" da Companhia Chapitô, no TMG

Sábado, 07.03.09

A iniciativa Famílias ao Teatro propõe para esta tarde, no Teatro Municipal da Guarda, o divertido espectáculo “Agora eu era”, apresentado pela Companhia do Chapitô, no palco do Grande Auditório.

Trata-se de um espectáculo de teatro visual e musical, para toda a família.

Na história: «três personagens e um baú, um contrabaixo que se transforma em porta, uma campainha que toca: E agora, eu era qualquer coisa que eu quisesse ser, e ia onde quisesse estar, e faria tudo aquilo que quero fazer. Agora tudo é possível. E as coisas são o que fazemos delas, e nós somos tudo, e também podemos ser nada…».

“Agora eu era” é uma criação colectiva, com encenação de Rui Rebelo e interpretação de João Madeira, Leonor Cabral e Patrícia Adão Marques. A direcção de actores é de José Carlos Garcia, a cenografia e figurinos é de Mafalda Estácio e o desenho de luz é da autoria de Carlos Gonçalves e Paulo Cunha.

A Companhia do Chapitô tem desenvolvido um Teatro para a Infância, onde todos são mestres e aprendizes. Desde 2003, tem-se vindo a constituir como um laboratório, onde se troca e partilha experiências com grupos e pessoas de diversificadas linhas criativas, abrindo as portas a novos e jovens artistas (autores, dramaturgos, actores, bailarinos, músicos, cenógrafos, figurinistas) procurando enriquecer e desenvolver uma linguagem que traduza o respeito à sensibilidade e à inteligência das crianças e o seu direito à cultura.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Comentários recentes