Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Setembro 2007

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

 


Hospital da Guarda garante consultas de neonatologia apenas a recem-nascidos com patologia

Sábado, 08.09.07

O Hospital da Guarda foi obrigado a encerrar as consultas de neonatologia abertas a todos os bebés nascidos na sua maternidade, por falta de recursos humanos. Este serviço diferenciava a unidade de saúde das outras a nível nacional, porque regra geral apenas são assistidos os recém-nascidos que apresentam patologias.

A valência existia há dois anos, quando o médico pediatra António Mendes – acabado de chegar da Madeira – quis oferecer um cuidado mais acompanhado às crianças nascidas no Hospital Sousa Martins (HSM). A consulta de neonatologia era garantida a todos os recém-nascidos, porque “nos primeiros dois a três meses de vida é importante fazer uma avaliação clínica para prevenir problemas futuros que podem, muitas vezes, surgir com a saída da criança do hospital para o meio familiar”, explica o pediatra.
António Mendes lamenta o fim do serviço nos moldes em que funcionava: “Quando se faz alguma coisa por amor, fica-se sempre triste, e tudo o que encerra é sempre um prejuízo para a população.”
As últimas crianças inscritas na consulta de neonatologia nasceram em Julho e a partir de Outubro o serviço passa apenas a ser garantido aos bebés com patologia clínica observada.
A unidade hospitalar da Guarda tem seis pediatras, mas só metade destes estão disponíveis: um pediu a reforma, outro encontra-se com horário reduzido – por estar a fazer formação em Coimbra –, e um terceiro pediu dispensa do serviço por razões familiares.
Perante este cenário, o director clínico do HSM, Luís Ferreira, explica a alteração introduzida no serviço: “Víamos todas as crianças porque havia disponibilidade, mas passando a ter menos gente era preciso cortar em algum lado.” E o corte atingiu as consultas de neonatologia, que agora funcionam “como na generalidade dos hospitais portugueses”.
Luís Ferreira garante, no entanto, que “havendo recursos humanos, a consulta de neonatologia, prestada a todos os recém-nascidos, pode ser retomada”.
Ainda este mês vai abrir uma vaga de carenciados para o Serviço de Pediatria e o objectivo do Hospital da Guarda é contar também, em breve, com uma vaga para o quadro, fazendo face à saída de um dos clínicos, que se vai reformar em breve.

CM

Autoria e outros dados (tags, etc)




Comentários recentes