Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



GNR aconselha idosos


Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Junho 2013

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

 



Projecto do hospital da Guarda em risco de ser amputado

Quarta-feira, 05.06.13

Contrariamente ao que estava previsto no projecto do novo hospital da Guarda, o actual edifício corre o risco de não ser requalificado, podendo ser transformado em Unidade de Cuidados Continuados. O hospital poderá no futuro ficar apenas limitado ao novo pavilhão e ao edifício das Urgências. Estes são os planos da administração da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda dados a conhecer aos deputados municipais do PS que na semana passada durante uma reunião com os responsáveis por aquela unidade de saúde. O presidente do conselho de administração da ULS, Vasco Lino, informou ainda que o actual edifício, apelidado de “comboio”, será esvaziado com a mudança de todos os serviços para o novo pavilhão e para o edifício das Urgências. O hospital da Guarda passará a funcionar apenas naqueles dois edifícios. O chamado “comboio” será desactivado até que seja encontrada uma solução para a sua requalificação e eventualmente a sua transformação em Unidade de Cuidados Continuados.
Matias Coelho, o deputado socialista proponente do pedido de reunião à ULS da Guarda, afirmou ao Terras da Beira que tem grandes reservas à solução apresentada. Critica ainda o facto da ULS dar a desactivação do pavilhão antigo como «definitiva», em vez de se procurar uma alternativa. Matias Coelho entende que «mais valia dizer que se ia aguentar mais uns anitos para depois dar início à recuperação» do que optar por aquela solução que considera «preocupante». 
Na reunião, solicitada pela Assembleia Municipal, a administração da ULS da Guarda informou ainda os representantes de todas as bancadas parlamentares sobre o processo do equipamento para o novo pavilhão. Matias Coelho referiu ao TB que os deputados manifestaram-se preocupados sobre o facto da redução do investimento disponível poder pôr em causa a qualidade do mesmo. Sobre o prazo para a entrada em funcionamento do novo pavilhão, a administração da ULS reiterou que o edifício deverá estar em funcionamento no final do Verão. Matias Coelho manifesta, no entanto, algumas dúvidas, uma vez que ainda estão a decorrer os concursos para aquisição do equipamento que é necessário comprar. Mais pormenores sobre este assunto na edição em papel do TB.


Fonte: Terras da Beira

Autoria e outros dados (tags, etc)



Visitantes, de onde?

Locations of visitors to this page

Visitantes

hit counters
hit counter



Comentários recentes