Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



GNR aconselha idosos


Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Outubro 2009

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

 



Manteigas: Homem desaparecido em 2005 foi morto

Segunda-feira, 19.10.09

A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal da Guarda, concluiu recentemente um inquérito respeitante a um crime de homicídio qualificado ocorrido em finais do ano de 2005, em Manteigas.
A investigação iniciou-se com a notícia do desaparecimento da vítima, um homem de 55 anos de idade. Conta a PJ que “à data do seu desaparecimento, a vítima e a sua esposa, apesar de casados, viviam separadamente, em andares diferentes e autónomos do mesmo edifício”.
A recolha de elementos, conseguidos com o Laboratório da Polícia Científica da PJ, recorrendo a “avançadas técnicas forenses”, acabaram por provar que a vítima foi “barbaramente assassinada”, pela esposa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

2 comentários

De Pedro a 13.01.2010 às 01:40

Atenção ás palavras que usa. As "avançadas" técnicas forenses referidas permitiram detectar grandes quantidades de sangue dentro da casa, que havia sido limpa e que,juntamente com outros elementos recolhidos indiciam fortemente que a mulher terá assassinado o marido. Ou seja, nada ficou PROVADO, aínda.

De acidademaisalta a 13.01.2010 às 02:13

Caro Pedro. Obviamente que toda a prova obtida pela PJ em sede de investigação será escrutinada, agora, em sede de julgamento. Já não recordo com precisão a nota informativa da PJ, mas o certo é que as autoridades levaram este tempo todo para chegar à conclusão que o senhor não havia desaparecido mas sim tinha sido morto, em casa, a qual partilhava com a mulher.
Trata-se de uma investigação forense, e não um palpite ou opinião.
Ainda assim, aceito o reparo quanto à afirmação formulada.

Comentar post




Visitantes, de onde?

Locations of visitors to this page

Visitantes

hit counters
hit counter


Comentários recentes